Uso correto de lentes de contato

Cuidados garantem uso saudável

Aliada de quem não gosta dos óculos de grau, as lentes de contato merecem cuidados especiais. Chefe do Serviço do Oftalmologia do HAC, Dr. Celso Afonso Gonçalves responde algumas dúvidas sobre o assunto e dá dicas da maneira correta para utilizar as lentes sem prejudicar a saúde ocular.

Do que são feitas as lentes de contato?
As lentes de contato podem rígidas ou moles. As rígidas são em geral fluorcarbonadas, e muito úteis na correção de altas ametropias, principalmente astigmatismos e doenças como o ceratocone. As lentes moles de boa qualidade, também chamadas de gelatinosas, são feitas de siliconehidrogel, que permitem melhor permeabilidade de oxigênio para a córnea.

Qual a principal diferença entre as descartáveis e as não descartáveis?
As lentes descartáveis podem ser de uso diário, semanal ou mensal. Elas têm menor durabilidade, e requerem menor cuidado, pois são descartadas após o prazo indicado de uso. As lentes não descartáveis requerem melhor cuidado, e têm grande período de duração, podendo ultrapassar 1 ano.

Atualmente, quais os tipos mais utilizados de lentes de contato e suas diferenças?
As indicações de qual a melhor lente de contato para cada caso, são realizadas exclusivamente pelo médico oftalmologista . Tudo depende do tipo de grau que o paciente tem, e das alterações morfológicas que a córnea tem. Essas alterações são mensuradas através da tomografia corneana, e da sua população endotelial.

lentes-de-contato

Cuidados com higiene são fundamentais para o uso de lentes de contato

Quais doenças podem ser corrigidas com uso de lentes de contato?
Praticamente todos os tipos de grau.  Miopia, hipermetropia, astigmatismo e mais recentemente a presbiopia, através de lentes de contato multifocais, que corrigem a acuidade visual para longe e perto.

O uso de lentes por estética (lentes coloridas) é vetado a algum tipo de paciente?
Somente um médico oftalmologista pode indicar o uso de lentes de contato, mesmo que seja somente por estética. Dependendo da morfologia da córnea do paciente, o uso de lentes de contato pode estar absolutamente contraindicado.

Qualquer pessoa que usa óculos, pode usar lentes?
A grande maioria sim. Porém, existe todo um processo para viabilizar o uso de lentes de contato. Inicialmente verificar se não há na morfologia corneana nenhuma contra indicação. Caso não haja, selecionar o melhor material para cada caso. Depois, realizar testes de sensibilidade, para averiguar o nível de tolerância das lentes nos olhos. Depois realizar treinamento especializado para colocação e remoção das mesmas – para tudo existe uma técnica correta, para não ferir a córnea. Por fim, aprender como cuidar de suas lentes de contato, afim de evitar infecções.

Existem pacientes alérgicos a lentes de contato?
Existem pacientes que têm grande sensibilidade, e não toleram lentes de contato. Mas não é um processo alérgico. Agora, muitos pacientes podem desenvolver alergias aos produtos utilizados na antissepsia das lentes. Aí a orientação médica é fundamental.

Existem patologias associadas ao uso indevido das lentes?
O uso incorreto de lentes pode causar diversos problemas nas córneas. Problemas esses que podem ir desde uma deformação na córnea chamada warpage, até uma velocidade aumentada de perda de células endoteliais por hipoxemia corneana, e de forma mais grave, contaminações, como infecções que em geral são muito graves, associadas a fungos e acantamebas, podendo levar ao extremo de um transplante de córnea, ou até mesmo a perda da visão.

A partir de qual idade é possível recomendar lentes de contato ao paciente?
Para começar a usar lentes de contato, tem que ter responsabilidade. Cuidados de higiene pessoal são fundamentais. Assim sendo, em geral após os 14 anos, já é possível adaptar lentes.

É possível nadar com lentes de contato?
Sim, é possível. Mas caso a água esteja contaminada por fungos ou acantamebas, o risco de infecção de multiplica.

Quais as principais orientações e cuidados devem ter os usuários de lentes?
Seguir corretamente as orientações de seu médico, não ultrapassar o número de horas de lente, usar os colírios orientados, ter muito cuidado na higienização das mesmas, e fazer avaliações periódicas.

 

Fonte:
Dr. Celso Afonso Gonçalves
Oftalmologista
CRM 69179

 

Voltar

Saiba mais: