Integrais: faça a escolha certa

Alimentação saudável é questão de saúde

Que comer alimentos integrais é sempre a melhor opção para uma alimentação saudável você provavelmente já sabe. Mas quais alimentos são integrais? Como escolher as melhores opções? A nutricionista do Serviço de Nutrição e Dietética do HAC, Aline Barreiros, respondeu algumas perguntas sobre o assunto. Confira:

O que são alimentos integrais?
São os grãos e cereais que não passaram por nenhum processo de refinamento. Por isso, eles conservam todos os elementos originais, como as cascas, as quais contém maior concentração de nutrientes, como vitaminas e sais minerais.

Quais as diferenças entre alimentos integrais e produtos integrais?
Os alimentos integrais são os naturais, conhecidos como produtos bases, como o arroz, o trigo e o amaranto, por exemplo. Já os produtos integrais são produtos industrializados que têm como sua base de ingredientes os alimentos integrais, por exemplo, um pão integral que utiliza como fonte única ou principal a farinha de trigo integral.

O que um produto precisa ter para ser considerado integral?
O órgão de fiscalização responsável (ANVISA) não estabelece valores mínimos para alegar se um produto realmente é integral. Dessa forma, muitas vezes, o consumidor é enganado quando compra um produto intitulado como integral. Uma dica é sempre ler o rótulo e os ingredientes: para um produto ser integral o primeiro ingrediente deve ser de base integral.

Quais são os alimentos integrais?
Amarando, aveia, cevada, milho, quinoa, trigo, arroz e centeio.

Qual o benefício de se consumir alimentos integrais?
Os alimentos integrais contêm mais fibras, vitaminas e sais minerais. As fibras são benéficas para o bom funcionamento do intestino, auxiliam na prevenção e no tratamento de doenças como obesidade, diabetes, dislipidemia, cânceres e doenças cardiovasculares.

 

integrais

Alimentos integrais favorecem o emagrecimento?
As fibras presentes nos alimentos e produtos integrais fornecem mais saciedade, pois no estômago elas formam uma espécie de gel, tornando o processo de digestão mais lento. Com a digestão dos carboidratos lentificada, a sua transformação em glicose ocorre de maneira mais lenta, não gerando picos de hiperglicemia no sangue, consequentemente liberando a insulina gradualmente.

A insulina é responsável não apenas por regular a quantidade de açúcar no sangue, transportando-o para ser armazenado nas células, mas também está diretamente ligada ao armazenamento de gordura nas células adipócitas, pela liberação da enzima LPL. Ou seja, quanto mais insulina você liberar a partir do consumo de carboidratos simples ou açúcares, mais gordura você armazenará.

Contudo é bom salientar: apesar dos inúmeros benefícios dos alimentos integrais, eles são tão ou mais calóricos que os alimentos refinados. Carboidratos de maneira geral não devem ser consumidos em excesso.

 

Fonte:
Aline Couto de Moraes Barreiros
Nutricionista
CRN3 41430

Voltar

Saiba mais: