Medicina de pai para filho

O Hospital Ana Costa já fazia parte da vida do pediatra, Dr. José Mário da Rocha Brito, mesmo antes dele nascer. Na inauguração do HAC, em 1966, o médico estava na barriga de sua mãe, Marisa Muniz da Rocha Brito, esposa de um dos fundadores do HAC, Dr. Gildo da Rocha Brito.

Talvez por isso, o hospital ocupe um lugar tão especial em sua vida – em seu coração. Assim, há 50 anos, o HAC permeia toda a vida do Dr. José Mário, que este ano completou meio século de vida e 20 anos de pediatria.

Nascido em Santos, o médico é o filho do meio de Dr. Gildo, hoje com 92 anos, e Dona Marisa, 83 anos. O casal teve ainda mais dois filhos, o advogado José Paulo da Rocha Brito e o engenheiro José Fernando da Rocha Brito.

Medicina
A escolha da profissão foi um caminho natural para Dr. José Mário. Apesar de nunca ter sido incentivado por Dr. Gildo, a influência e a inspiração no pai médico foram inevitáveis.  “Meu pai nunca me incentivou a fazer Medicina. Sempre gostei de Biologia na escola. Com 10 anos, acompanhei-o em um congresso em Angra dos Reis. Entrei em uma sala e assisti uma cirurgia”, relembra o médico, que sentencia. “Não faria outra coisa”.

Formado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Sorocaba em 1996, voltou a Santos para fazer Residência Médica em Pediatria no HAC. Durante o curso de Residência Médica, Dr. José Mário conheceu a esposa, Dra. Veridiana Porto Maggioli da Rocha Brito, que na época cursava Cirurgia Vascular. Casados há 20 anos, o casal tem duas filhas: Luiza e Helena, de 15 e 12 anos, respectivamente.

Pediatria
“Decidi pela Pediatra no final da faculdade. Sempre quis clínica, não gostava de cirurgia. E no pronto-socorro da Pediatra da faculdade, achei o tratamento muito mais humanizado. Gostei muito mais de atender criança do que adulto”. Após a Residência no HAC, o especialista cursou complementação em Hebiatria, na USP.

Para o médico, o último grande clínico da Medicina é o Pediatra. “Um adulto chega no médico e diz que está com dor de garganta. A criança vem com febre. Você tem que avaliar da cabeça aos pés para tentar descobrir de onde vem a febre. Acho isso muito legal”.

Sobre a relação médico paciente, Dr. José Mário explica que na Pediatria ela ocorre de maneira peculiar, pois além da criança, o médico lida também com a mãe. “A mãe deposita no Pediatria muita confiança. É responsabilidade muito grande”.

Segundo ele, é durante o período pré-diagnóstico que a mãe precisa de maior atenção. “ A mãe também precisa de atendimento. A gente tem que tentar conter o medo e a angústia. E quando tudo dá certo, a criança fica boa, ela fica extremamente agradecida”.

Sobre a relação de responsabilidade e confiança com as famílias, o médico orgulha-se em dizer que já atende a segunda geração de seus pacientes. “Tenho pacientes que tiveram filhos e também são meus pacientes. Isso me deixa muito feliz”.

Pai e Pediatra
E como não poderia deixar de ser, o médico também leva sua profissão para dentro de casa, atendendo as duas filhas. “Razão e emoção não se misturam. E apesar de minha esposa também ser médica, ela primeiro é mãe. Ela reage como todas as mães”, conta o especialista.

Para Dr. José Mário, o Pediatra é muito melhor Pediatra quando ele tem filhos. “Você fica muito mais compreensivo com os pacientes. Entende a angústia que muitas vezes domina as mães”.

familia

Paixão
Fanático pelo Santos Futebol Clube, Dr. José Mário encontra no futebol seu maior lazer. “Não perco um jogo, vou sempre a Vila Belmiro. Sou fanático. A Vila Belmiro é a minha segunda casa. Dia de jogo é o meu dia. O dia que não consigo ir ao jogo fico injuriado”. Entre as loucuras que já fez pelo time, o médico relembra uma viagem ao Japão. “Fui para Tóquio, ver o Mundial. Perdi o aniversário da Helena e da Veridiana. Escuto isso até hoje”, brinca.

Outro hobby do médico são os vinhos. “Sou amante de vinhos. Tenho a minha adega, assino revistas e aprecio a arte”. Nas horas vagas, ele também aproveita para curtir a família. “Adoro sair e viajar com a minha família. Em casa, gosto de conversar com as meninas, colocar o papo em dia. Aproveitamos ao máximo o tempo para ficarmos juntos”.

Saúde
Para manter a forma e a saúde em dia, Dr. José Mário faz questão de fazer exercícios na academia três vezes por semana, rotina que complementa com corridas aos finais de semana. “Já faz 6 anos que corro os 10 Km A Tribuna. É uma brincadeira boa, um ambiente saudável”.

HAC
O Hospital Ana Costa faz parte da vida do médico e ocupa um lugar mais do que especial em sua rotina, em sua história e em seu coração. “Tudo que a gente é e que meu pai proporcionou à gente, devemos ao Ana Costa. Tenho um orgulho e um carinho muito grande de trabalhar lá”, orgulha-se o médico, completando. “Devo tudo ao Ana Costa”.

Filho de um dos nomes mais importantes da história do Complexo Hospitalar Ana Costa, o médico salienta sempre fez questão de separar o filho do Dr. Gildo, do médico Dr. José Mário. “Acho que consegui. Eu tenho meu espaço e sou respeitado pelo fato de ser médico. Isso me deixa muito feliz”.

Felicidade
Dr. José Mário busca, em sua trajetória de vida, apenas um único objetivo: a felicidade. “Ser feliz é o mais importante. Não me preocupo com dinheiro, com posses ou status. Manter uma unidade familiar é importante. Tento transmitir isso para as minhas filhas. Família para mim é muito importante”.

Sobre a dedicação e o amor a profissão, Dr. José Mário fala com alegria sobre os sacrifícios de quem escolhe ser médico. “Você abre mão de muita coisa. Mas não me arrependo de nada. Já passei Natal e Ano Novo trabalhando. Não me vejo parado. Enquanto tiver saúde e disposição, quero trabalhar”.

Voltar

Saiba mais: